domingo, 23 de dezembro de 2007

Vigiadora

Noite. O céu está cor de anil, um pouco mais escuro, com as nuvens flutuantes respingando sobre ele. Quase como um pano sujo por elas. O vento não sopra forte, a brisa é quase intocável, impenetrável. O tempo parece não passar.

A blusa dele é verde. Sua calça eu não vejo. Talvez seja um jeans. Ele está cheiroso, eu consigo sentir mesmo sem senti-lo. Tomou banho. Vem carregando dois presentes. Vem da esquina. Mora na rua um pouco abaixo a minha. A nossa, no caso.
Só pego-o, por acaso, já na metade da rua. Ele vem andando devagarzinho, hesitante. Pigarreante, ele chega já assobiando, como é de costume. "Marianaaa" eu espero ele gritar. Seu grito soa em meus ouvidos, apesar dele não fazê-lo. Apenas dois assobios.
Ele espera. Consigo perceber sua ansiedade controlada, misturada com um pouco de calma e reprovação. Ele anseia por ela, anseia pelo seu amor, pela suas angústias. Anseia por tê-la com ele para todo o sempre.
O cachorro late dentro da casa. "Cala a boca!" ela esbraveja. O som de sua voz entra em meus ouvidos e, com certeza, nos dele. Quase matando-o do coração. É ela.
Escuto o som metálico do portão se abrindo. Ela sai e não o abraça, coisa que senti falta. Ele lhe dá os presentes, um de cada vez. Primeiro dá-lhe um tipo de caixinha, que penso, assim observando de longe, que seja chocolates ou algo de comer. O outro presente é uma sacola, e ele veio carregando na mão esquerda. Dá a ela e, no mesmo instante, ela abre-o. Vê o que é e dá um sorrisinho meigo, atraente. Eles se beijam e entram em casa.
Uma fitinha voa, um tantinho acima dos dois. Quase como eu, assistindo-os. Admirando um casal feliz, cheio de amor para dar. Vejo que ela está orgulhosa. E eu também.
Mariana fecha a porta e uma pequenininha ventania faz a fitinha subir nos fios e sumir no meio do céu cor de anil-escurecido, parecendo uma faísca da fogueira são joão.
Uma casa em um bairro azul anil, com um casal feliz e dois vigiadores.

Um comentário:

Solin: disse...

Oi Jéssica!!
Nossa, eu li e fiquei procurando o que dizer sobre "Vigiadora", algum adjetivo. Sou péssima em adjetivos. Mas eu gostei. Na verdade, gostei muitooo mesmo. Se esse foi o seu conto de Natal, diria que Papai Noel está mais novo, sem o trenó e sua relação com a menina é um pouco diferente do que eu imaginei que pudesse ser. =D
Meu endereço está linkado no meu Nick.

até ;)

ps: atualiza! atualiza! atualiza!