segunda-feira, 13 de julho de 2009

O beijo das sombras - Richelle Mead

Quem achava que somente Anne Rice e Bram Stoker eram os únicos a escreverem sobre seres que chupam sangue e tem problemas com o sol, se enganou ao ver o sucesso explosivo causado pela saga Crepúsculo, de Stephenie Meyer. Misturando romance e ataques vampirescos, o livro abriu caminhos favoráveis para que outros autores também desengavetassem suas histórias sobre vampiros, e além disso, fizessem surgir outros personagens. Assim, então, aconteceu com Richelle Mead e o livro O beijo das sombras (Vampire Academy, no original).


Traduzido e lançado aqui no Brasil ainda este ano, este é o primeiro livra da saga de mais quatro: Frostbite, Shadow Kiss, Spirit Bound e Blood Promise, este último ainda para ser lançado lá fora. Com a tradução que parece mais ser o terceiro livro da saga, O beijo das sombras não é mais um sucesso "meloso" de livros vampirescos. Do contrário, tem muito mais ação e os romances que se formam no decorrer da história são realmente interessantes, diferentes dos livros que começam logo com uma historinha de amor.


A sociedade Moroi (vampiros "do bem") está se extinguindo por causa de ataques dos Strigoi (vampiros que se corromperam e precisam de sangue Moroi para sua imortalidade). Lissa é princesa da família real dos Moroi, e Rose é sua guardiã. O dever de Rose é proteger Lissa dos Strigoi, mas ela acaba exagerando e tenta proteger a amiga de qualquer desaforo ou ataque até mesmo das pessoas que convivem com eles. Com o temperamento forte e língua afiada, Rose narra o livro de uma forma ativa e às vezes até rude com algumas pessoas - mas tudo tem sua razão: ela detesta a futilidade da realeza, por isso tenta proteger sua melhor amiga e dar à ela um equilíbrio mental e físico.


Cheio de ação e com um final surpreendente, o livro se mostrou um pouco entediante no início até a metade, mas a partir capítulo 15 não se consegue mais desgrudar da história. E eu até acho que se o livro inteiro ficasse nesse pique, chamaria muito mais atenção. Mas é uma literatura infanto-juvenil que recomendo.

Alguns problemas que encontrei:
A história começa pelo meio, quando as duas já fugiram da escola e agora estão sendo resgatadas de volta. E mesmo que a narradora tente explicar, no decorrer das páginas, o porquê das duas fugirem, algo fica solto, como se já tivesse sido dito em outro volume. Como o acidente que as duas sofreram. Para o primeiro volume, esse acidente devia constar lá (a cena completa, e não só alguns fragmentos), já que foi tão decisivo para a família de Lissa e para a guaridã dela, Rose.
Este também é o primeiro livro que fala de um ataque de vampiros e NÃO acontece um. Senti muita falta disso, quando estava chegando no fim até pensei "agora os Strigoi vão atacar", mas nada aconteceu. O que me faz suspeitar que esse seja realmente o primeiro volume da saga, e não o terceiro, de acordo com a tradução. Bem, quem souber alguma informação, por favor me avise.

Para mais informações sobre o livro, acesse o site.


*Livro enviado para mim para fazer resenha.

3 comentários:

Gaby Almeida disse...

Quero ler esse livro....

Gabi Magnani disse...

Jéssica, tem um memê pra você no meu blog. E me interessei por este livro, parece ser bem interessante.

Leon K. Nunes disse...

Eu sempre tive pé-atrás com literatura fantástica, não sei porquê, já que sempre gostei dos clássicos, desde os infantis até os mais avançados, dos contos da Disney aos livros de Drácula e Van Helsing, mas estou há tanto tempo distante desse tipo de literatura que não me vejo lendo um deles.. mas questão de hábito né, e hábito também pode ser (re)adquirido.. eu também estava distante da ficção científica, mas encontrei ontem um livrozão empoeirado do Isaac Asimov que li há anos e comecei a relê-lo, e agora quero ir até o fim.... vou em frente!