quinta-feira, 16 de julho de 2009

Último beijo

Não importa com quantos caras você sai numa noite, quantos você beija, quantos você transa. Não importa a festa, não importa a bebedeira, não importa a falta de cuidado. Não importa quem te liga no outro dia, dias depois ou nunca mais. Não importa os rostos sem expressão, os sarros sem sentimento, as risadas sem graça. Não importa.

Nada disso importa.

A única coisa que realmente vale a pena, no final de tudo, é quem estará ao seu lado no fim da madrugada, segurando sua mão em cima de um telhado qualquer ou até na beirada de uma praia; o que realmente importa é em quem você vai dar o último beijo da noite, ou da madrugada, ou o primeiro do amanhecer. É esse último beijo que fazem as coisas realmente valerem a pena.

25 comentários:

Gaby Almeida disse...

Adorei... isso é verdade, esse ultimo beijo é que faz toda a diferença...

Bela disse...

Uau!!!
O texto ,a foto, tudo perfeito.
Abraços.

Aline Romero disse...

Tudo tão lindo... Suspirei!

Lua disse...

Lindo texto *---* e tão verdadeiro ! realmente, o que conta é aquilo que acaba sendo constante na sua vida, que te passa uma segurança, mesmo sendo falsa ! parabéns pelo texto e pelo blog !
Bjos !

Kari disse...

É, sem dúvida, o beijo mais gostoso....

Tiago Ribeiro disse...

Intenso do início até o fim.

.Intense. disse...

E é pelo 'último beijo' que eu tanto anseio...

=~

Steferson disse...

Obrigado, Jé (e devo dizer que também não me pareceu uma ideia muito legal, da personificação do elevador como boca x.x).

Ah... quanto a esse "Último Beijo", não muito a comentar... até porque ele está em seu outro blog também, se não me engano. Todavia, como disseram em cima: é realmente esse que faz a diferença.
A vantagem de passar um tempo sem entrar no blog é essa: acabo tendo bastante o que ler.
E, devo dizer, que adorei a indicação do livro... e, procurei saber, é sim o primeiro, "O Beijo das Sombras". Inclusive, há sérios problemas no modo que hão de traduzir o terceiro... mas, enfim.

João disse...

Principalmente quando o último beijo é só o prenuncio de outros mais. E a gente possa dar o último beijo todo dia, com a mesma pessoa.

Juno disse...

Que bonito isso! Conciso. Redondinho. Adorei!

Beijos

:-*

Rafa_sv disse...

Concordo que o que mais importa é que fica do seu lado, seja numa hora boa e seja em uma tempo ruim, o que vale é o carinho que cada um tem pelo outro, porque se não tiver o minimo dele, tudo sucumbe. Um dia eu ainda tiro uma foto dessa, ela já falou tudo o que tinha pra ser dito e mais algumas coisas.

Fábio Ricardo disse...

os ultimos beijos nunca sao os ultimos. estes é que são os verdadeiros primeiros.

.Ná. disse...

E nada disso importa desde que você tenha alguém ao teu lado no fim da noite, da madrugada ou ao amanhecer. Nada disso importa realmente.
Lindo, lindo, lindo!
Beijos

Jorge Victor disse...

Muito bom !

dá uma olhadinha.

http://poucoeamiude.blogspot.com/

Candy disse...

Senti um amor jorrando aí?

Layz Costa disse...

huum, amaaaando?
*.*

é, o melhor beijo é o beijo com mais amor.
ai, que lindo.

Leon K. Nunes disse...

É, sabe, essa coisa do romantismo em permanente duelo com a promiscuidade é algo que vai perdurar enquanto existir o ser humano né, mas eu concordo com você, o que interessa mesmo é aquilo que te preenche não apenas carnalmente, mas te supre, te completa, é o que te faz ficar pensando naquilo mesmo tempos depois, horas, dias, semanas depois, e sempre. Todo mundo devia ter o direito de viver isso, é algo revigorante, não?

Beijo, até.

Leon K. Nunes disse...

Fechou o Escreva-me Cartas? Eu entendo o seu ato - e o de quem o pratica - de restringir o blog, mas um dia reconsidere isso. Tem belos textos lá, você está realmente impecável em boa parte deles; aquilo ali realmente merece ser lido, a despeito de toda exposição que pode haver (e que, por ventura, você não queira).

De qualquer modo, é só uma sugestão ;o)

L.S. Alves disse...

Na verdade tudo isso isso importa, pois são essas coisas efêmeras que dão a medida e o valor daquele último beijo.
Um abraço moça.

Livre Pub disse...

Caraca, que bonito. Quantos anos vc tem mesmo? Achei tão maduro e cheio de certeza. Eu conseguia ver que você sabia do que estava falando.

Sw? disse...

ai que lindoooooooooooooooo

Leon K. Nunes disse...

Não, eu logo como lknunes@gmail.com.....

Quanto à sua resposta, foi isso mesmo que pensei... eu notei que realmente o conteúdo do outro blog é muito pessoal.. eu gostei porque há muita qualidade nos textos, não só no aspecto literário, mas pela própria experiência exposta... mas, claro, como falei, entendo quando algumas pessoas restringem um certo blog, de fato algumas coisas talvez é melhor que não sejam publicadas...

De qualquer modo, não foi uma repreensão nem nada, só uma demonstração de que eu já tinha lido e achado interessante; mas, de fato, toque em frente este Contos no Papel, e discordo que ele tenha diminuído o ritmo.. basta olhar o histórico para notar que ele tá mais movimentado hoje que no começo do ano, por exemplo... Beijo, té!

Marina Melz disse...

O problema é quando a história não termina no final, e aí todo o resto importa.

Vladir Duarte disse...

Concordo contigo.

Menina Misteriosa disse...

Lindo texto! Adorei!
Beijos