terça-feira, 28 de julho de 2009

Todo mundo está correndo em círculos

Você só passa a ser uma coisa, realmente, quando a carapuça, a capa, a roupa completa cai em você. E não desgruda mais. Você só passa a ser realmente alguma coisa, qualquer que seja, político, desenhista, escritor, músico, professor, quando a pele não é mais pele, e sim o que você faz. Aquilo que te reveste, que te encobre. Você só passa a ser o que você faz quando você vira o que você faz.

Não adianta fingir uma coisa que você não gosta. Não adianta querer ser algo que não dá pra ser. Ou você se enquadra, ou anda perdido no mundo, como uma sombra que não dá sombra pra nada. Shadow. Fumaça. Acaba caindo na mediocridade do mundo, assistindo TV até tarde e sem conseguir pensar em mais nada além do que você vai comer no café da manhã ou quem vai comer no fim da noite. Não adianta. Você precisa ser.

O "ser" é, talvez, um dos mais difíceis desafios da vida. Da humanidade, até. Ninguém mais é. As pessoas apenas vagam por aí, achando que são alguma coisa, fingindo descaradamente (algumas nem tanto) que sabem ou que amam ou que são alguma coisa. De verdade, mesmo, nada acontece. É tudo um grande vazio branco e circular. Todo mundo está correndo em círculos, sempre, e para chegar a lugar nenhum.

Então, se você quer ser alguma coisa, que seja. Mas só se isso realmente for o que você quer ser.
Seja, não esteja.

"Porque, quando você não faz nada, é como se não existisse" - Fábio Moon & Gabriel Bá em Crítica

"O importante não é estar aqui ou ali, mas ser.
E ser é uma ciência delicada, feita de pequenas-grandes observações do cotidiano, dentro e fora da gente.
Se não executarmos essas observações, não chegamos a ser: apenas estamos, e desaparecemos."
Carlos Drummond de Andrade

13 comentários:

Gaby Almeida disse...

Muito bom... é verdade, ser é muito dificil...

Maria Fernanda disse...

Por que a teoria é tão mais fácil que a prática?

Quem dançou com ela? disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Quem dançou com ela? disse...

Adorei seu canto.

.DDD

muuuuito mesmo, especialmente o post sobre o ultimo beijo, ou o primeiro.
não importa.

:)

Incerta disse...

Afinal de contas como posso descobrir o que eu vou ou quero ser????? Depois eu decido se vou ser ou nao... affff Isso nao é tão simples, nao é mesmo!

Livre Pub disse...

Tive que ler duas vezes pra entender. Mas no fim vi e concordo. Hopocrisia não adianta de nada mesmo!

Carol Fonseca disse...

haaa,eu já acho que agente tenta ser alguma coisa,tenta até conseguir,alguns tentam uma coisa hoje,outra amanhã,e as vezes nem conseguem ser o que realmente queriam,ou nem sabem o que realmente é ser alguém ou algo...
O importante mesmo é nunca deixar de tentar,ousar-se até mais não.
Afinal que graça teria a vida se não pudessemos experimentar?
beijos

Leon K. Nunes disse...

Sabe Jéssica, por muitas vezes, eu, e acho que todos na fase adolescente, fiquei matutando sobre como queria que fosse o futuro, sobre o que queria ser, aquilo com que realmente não me identificava... e nunca cheguei a conclusão alguma, acho que é porque sou daqueles que não teve - ou não souberam aproveitar - oportunidades, tenho 23 anos e já trabalhei em pouco mais de dez empresas cretinas, e até hoje nunca tive carteira assinada.. só fiz mesmo estágio, bolsa, trabalho informal, etc.... hoje, ganho uns trocados dando aula e escrevendo para uma revista rende até uma boa grana, o suficiente pra pagar as contas e garantir algumas benesses a mais... ando fazendo o que gosto, mas não tenho expectativas profissionais maiores, de maneira que não sei se estarei nisso ainda daqui a uns cinco anos (escrever pro blog é uma maravilha; escrever profissionalmente é complicado, embora eu sempre goste do produto final). Ou seja, essas reflexões que tu põe nos teus textos, ainda hei de pensar bastante nisso, até que possa chegar e te dizer o que realmente acho quanto a isso... de tua parte, contudo, é bom ver que tu tem princípios; espero realmente que consiga ser aquilo que quer.

Beijão, até a vista!

JLM disse...

deixei um selo pra vc lá no meu blog. use-o&abuse-o.

bjos sweet. saudds.

.Ná. disse...

Sempre lembro muito do "seja e não esteja". É tão dificil! rs
Beijos

Candy disse...

Por mais que eu Seja, Esteja me agrada mais.
Esteja abre mais possibilidade, é hoje e não amanhã, há mais testes, experiências.
é como trocar várias vezes de pele, é poder viver de várias formas, em vários sentidos, em outras realidades.

:*

Steferson disse...

Bom, e aqui paro eu novamente, pondo-me a pensar no que tens a dizer. Acho que, dessa vez, eu demorei um pouco mais, Jé. Bom, de certa forma, ler o que disseste deixou um olho roxo e uma marca de batom na bochecha (sim, socaste-me e beijaste-me simultaneamente).
Escrevo porque quero, porque gosto, porque me agrada. Escrever me cai bem, é o que acabo de reparar. Falo, escrevo, admiro e ignoro. Ignoro porque sei que, uns ou em alguns (momentos) ignorar é o que preciso para atuar quem sou naquele momento (no caso, "estou"). Admiro porque simplesmente gosto do que vejo, do leio, do que ouço, então recrio ou repito ou indico, ou mesmo crio, e aí vem minhas histórias, meus mundos, meus pontos de vista.
Não hei de dizer que eu "sou", pois mentiria. Ainda não ganhei a forma icorrigível de um ser ignorante, almejo-a, entretanto.
E você? Está ou é? Que ser serias tu?

Vivi-chan Wikin disse...

Eu sempre fui maniaca por leitura,desde que aprendi a ler.Vc indica coisas bem legais,so naum te indico livros pq literatura medica naum agrada a tds,mas parabens pelo blog!