terça-feira, 29 de setembro de 2009

Brincos de Princesa

A brisa leve carregava os lírios brancos, os lilases, as camélias em pequenos redemoinhos, fazendo o cheiro doce subir ao ar. Alguns pólens se soltaram e dançaram alegremente pelo jardim, dando voltas e rodopios até chegarem próximo a um narizinho no canto do caminho. A garotinha soltou um espirro miúdo, quase imperceptível, e limpou com as costas da mão o nariz. Mas isso não tirou sua atenção do colorido novo à sua frente.

Com as mãos pequeninas, ela tocava uma pétala branca da tão bonita e colorida flor nova que sua mãe tinha plantado no jardim, dentro de um vaso muito ornamentado. As folhas verdes caíam sobre a estrutura de cimento e os caules finos eram entortados para baixo, suspendendo assim as pétalas brancas, rosas e roxas formando pequenos botões. Era o brinco mais bonito que a garotinha já tinha visto, e só sabia que era um porque sua mãe lhe dissera o nome da flor. Não parecia nenhum dos dois, era quase uma espécie de milagre da natureza.

Suas mãozinhas rechonchudas seguraram a flor em forma de concha, direcionando-a para o sol poente de verão. As pétalas brancas e rosas disputavam lugar na base, as duas querendo sustentar a cúpula invertida de pétalas roxas no meio. Todas as cores resplandesciam nos raios de sol, quase ofuscando a vista da garotinha. Se ela olhasse um pouco mais adiante, a luz tomaria conta de seus olhos e sua visão viraria um mar de brancura. Mas ela focava sua atenção na beleza daquela flor, imaginando quem tivera a idéia esplêndida de criá-la daquele jeito, e daquelas cores.

-Liriana! - gritou uma voz familiar de dentro da casa. A garotinha não ouviu.

Uma mulher alta de cabelos longos saiu da casa e parou, antes de se aproximar. Observou a filha por um instante, vendo o quanto ela estava absorta na novidade do jardim. Sorriu, observando o encantamento da filha, e chamou mais uma vez, só que baixinho:

- Liriana, meu amor, que está fazendo aí?

A garotinha não respondeu. A mulher aproximou-se e dobrou as pernas, ficando na mesma altura da filha. Tocou de leve os cabelos dourados dela e, de súbito, a garotinha piscou e balançou rápido a cabeça, como se acordasse de um sonho.
- Mamãe?
- Liriana, estou lhe chamando há séculos.
- Eu não ouvi! Desculpa! - afirmou a garotinha voltando à flor.
- Pois estão estou chamando agora. Gostou da flor nova, não foi?
- Sim, sim! Adorei! - respondeu ela, empolgada - É linda, perfeita, maravilhosa!
- Humm... Que bom, então. Vou plantar mais dessas aqui. Agora vamos que estou terminando o bolo e preciso da sua ajuda.
- Oba! Bolo de chocolate!

A garotinha soltou delicadamente a mão da flor branca-rosa-roxa e entrelaçou os dedos com os da mãe, tão finos e bem pintados. Ajeitou o vestido e caminhou de volta para casa pelo jardim cheio de lírios e lilases e camélias e flores de vários tipos, além de um vaso ornamentado cheio dos mais lindos Brincos de Princesa.


--

O blog deu uma parada porque to totalmente sem criatividade pra escrever qualquer coisa. Então, não estranhem se ao vir aqui ainda estiver tudo na mesma.

14 comentários:

Rodrigo Oliveira disse...

Olha só! Realmente mais um conto de flores e meninas :) Muito obrigado pelo comentário lá no blog. Fiquei bem contente. Q bom q vc gostou. Mantenhamos-nos entre as flores então!

Kari disse...

Sabe que eu me senti naquele jardim? Foi como estar observando toda a cena... Me admirei com a admiração da menina.. Me encantei com a flor... Quase que senti seu cheiro...

Lindo demais, moçinha!!!!
De um encantamente tãoooo....
Doce.

Beijos

Katrina disse...

Eu senti o cheiro

Eloisa disse...

De tantos pontos, um dia vira reticências.

Beijo, querida Jéssica, prometo que voltou para ler tudinho.

Gabi Magnani disse...

Sabe Jess, faz um tempo que não venho aqui. Este aqui foi um dos primeiros blogs que realmente acompanhei, se não o primeiro. Continuas com a mesma fotinho, com os mesmos marcadores e com a mesma descrição no perfil (ou pelo menos parecida). Você tem talento de verdade, não é só mais uma blogueira entre tantas tentando mostrar que sabe escrever e tem criatividade. Você não precisa provar pra ninguém. Você escreve com emoções e passa tudo do mundo real para as palavras, e deixa isso claro aos leitores. Quando você conta uma história, por mais agressivo que seja o conteúdo, você faz tudo parecer leve e delicado, com suas palavras sempre simples e esclarecedoras. Sou uma eterna fã sua. Um beijo.

Nanda disse...

Continua escrevendo tao lindo né?!
Tem muito talento Jessica e nao pode desperdiçar isso.

esse é meu novo endereço...

beijo ;*

César Fernández disse...

Olá olá, srta. Jéssica! (:

Eu sou o 'cara do blog que você comentou' (Consciência Espiral) :P
Desculpa, eu não li nenhum post do seu blog, mas pretendo/prometo ler... É que são 5 pras 6 da manhã e eu tenho essa mania de entrar na net assim que acordo... já vou me arrumar pra faculdade, nem dá tempo de parar pra ler alguma coisa. Mas eu parei pra ler os seus comentários no meu blog e adorei tudo que você disse!
Eu podia duvidar de tudo aquilo, mas só o fato de você ter deixado aquele comentário enorme toda 'se justificando' prova a veracidade das palavras, porque é exatamente o tipo de coisa que EU faria, tenho mania de me explicar. haha
então, assim... sem segundas intenções, posso add você? ^^
acho que nos daremos muito bem :D

e respondendo à sua pergunta: de 2007 pra cá foram muitas meninas de cachinhos :x

:*

[eu ia mandar isso por scrap pra você, mas o orkut tava considerando spam o_O]

Camila disse...

qe delicia ler isso :)

Candy disse...

Pequeeeena, desculpa a ausencia!
:T

ficou tão lindo, tão sutil, tão gostoso de ler.
E quantas vezes oq achamos belo, nos prede em nosso mundinho particular, né?
;)


beeeeijo

Lucas Lima disse...

não deve parar de escrever não, muito bom este, bem doce diria eu, tenro, rs
bons dias

Layz Costa disse...

Maravilhoso!
Jéssica, as vezes é bom a gente sumir mesmo, se encontrar faz parte do processo criativo.
=)
beijo =*

Carol Rodrigues disse...

Aiii, tão lindo, tão delicado, moça!
Eu morro de vontade de ter um jardim sabe?
Um dia vou ter um! E quem sabe uma menininha pra se encantar com as flores tbm?

;-)

bjos

Cristiano Contreiras disse...

Além de escrever muito bem, propõe um belo blog - um conceito eficaz, lindo e sensivel e pura literatura! ;)

Muito lindo o visual também! Parabens, te seguirei! e linkarei ao blog! :)

Muito bom mesmo!

Leon K. Nunes disse...

Flores são mesmo algo que prende a atenção, né... Eu gosto de flores, tinha um pequeno jardim aqui atrás, cultivei várias, a minha favorita era a cecém, a flor-da-imperatriz, mas diminuí a estima... tinha feito como uma espécie de terapia que minha analista havia recomendado, hoje não tenho mais muitas flores, até tenho algumas plantas... vamos levando, né.. bonita história da Liriana. Beijo.