quarta-feira, 3 de março de 2010

Death

Ela tem vários disfarces. E aparece incontáveis vezes ao dia. Em qualquer lugar que você vá, ela está lá. Em pequenos detalhes. Ou em grandes acontecimentos. Na maioria das situações do seu dia-a-dia, ela lhe acompanhará. Quase como uma sombra atrás de você, imperceptível mesmo aos olhos mais espertos do mundo, ela estará à espreita, logo atrás, num lugar escondido, esperando você somente dar um passo errado numa caminhada. Colocar uma palavra errada numa frase. Deixar de responder a uma única pergunta, simples e - talvez - sem importância. Para você, é sem importância, mas para ela - é a chava que ela precisa para lhe atacar. E, quando você menos espera, ela lhe pegou e carregou você nos braços, para muito, muito longe daqui.

Você não sabe, mas convive com ela todos os dias. Ao sair de casa, e quase pisar dentro de um bueiro. Ao atravessar a rua, mesmo com um carro próximo demais. Ao não esperar o sinal fechar. Ao atender o celular. Ao conversar com alguém do outro lado da rua. Ao pegar o ônibus errado. Ao entrar no ônibus e não ter lugar para sentar. Ao sentar próximo da janela. Você não sabe de que lado ela vem, mas sabe que ela está por ali. Rondando. Sondando. À espreita.

Os que a descobrem facilmente, podem achá-la até mesmo simpática e amigável. Porém são poucos. Geralmente, quando você a vê, pelo canto do olho, ficará com medo e logo, com uma rapidez que julgará infinita, desviará o olhar. Mas, se for curioso, descobrirá que, ao olhar de novo, ela está ali. E ali, do outro lado. E mais ali na frente. E logo um pouquinho mais à direita, quase atrás de sua cabeça. Só não olhe para baixo. Isso pode ser, para ela, o golpe fatal.

Porém, não se preocupe. Não fique achando que só porque ela te sonda, ela te fará mal. Ela sabe o que faz. Ela somente vigia, entediada, e se divertindo às suas custas. Mas nunca prega peças. Só espera, para ver sua reação. Ela sabe que você já prega muitas peças e põe muitos obstáculos na frente de tudo, só para ser mais trabalhoso. Você é quem projeta os milhares de encontros com ela no dia-a-dia, só que não percebe. Só ela que percebe. E se diverte.

Então, se divirta junto com ela. Ache suas próprias brincadeiras com o destino. Mas tome cuidado com os bueiros, as ruas, os sinais e as palavras. Talvez, numa dessas situações, quando você menos espera, ela atacará você. E, você sabe, que com ela é caminho sem volta.

10 comentários:

Fernanda disse...

uh, não sei nem o q cometar. bem tenso e bem profundo. eu gostei 8)
sabe q sou sua fã, n é? e q amo seu jeitinho especial de escrever? :]

bjos

Rebeca Postigo disse...

Que medo!!! o.O
Tenso e apavorante...
Um bom conto!!!

Bjs

Gabrielly disse...

Muiiiiiito lindo, interessante, aamei o suspense qe voce fez no texto, parabens !
bgs ;*

Camila disse...

gosteei, aliás te sigo porque amo seu blog viu?

bejos

Jacqueline Soares disse...

-'. Um suspense agradável, é bem tenso saber que ela está aqui agora, rindo de mim.
=]
Estou me divertindo com ela.

Adoreii..

Beeeijos

JLM disse...

oi j

q bom q vc achou diferente, mas ñ inovei no método e sim no conteúdo. se ficou parecendo corrente, talvez seja pq vc ainda ñ viu as outras duas partes da história, q já tenho na cabeça e vou publicar nos próximos dias.

e vc, como anda com o livro?

Jacqueline Soares disse...

-'. Felizz dia da mulherr!! =D

Gabriel Bedin Slevinski disse...

Quintana ironizou a morte quando disse que: "ela sempre chega pontualmente na hora incerta"
Fascinante sua maneira de escrever.. belo blog..

Sw? disse...

seu blog ta lindo!!!!

bjitos

O Santo Forte disse...

Queria uma ajuda sua se você puder é claro tou fazendo um declaração de amor pra uma pessoa muito especial e gostaria de sua ajuda ex: você tira uma foto sua e escreve esses dizeres Fernanda aquixxx (o nome da sua cidade ) todos ja sabe que Herberth te ama muito, mas informações no meu blog se você puder divulgar abradeço de coração...