quarta-feira, 22 de junho de 2011

Pelas esquinas

- Você vai mesmo? Amanhã?
- Sim.
Pensativa, ela abaixou a cabeça.
- Engraçado - disse - Quando falei contigo pela primeira vez, você tinha planos pra ir embora. E quando finalmente te conheço pessoalmente, de novo você está indo. Parece que eu só te encontro pelas esquinas.
Ele soltou um sorriso abafado.
- Pelas esquinas? - repetiu ele
- É. Despedindo-se sempre. Sabe quando você está de saída e volta de repente, como se tivesse esquecido alguma coisa?
Ele balançou a cabeça. - Sei.
- Pois é. É quase como se, sempre que você está para sair, de repente eu apareço. E te faço ficar por mais tempo do que você pretendia.
- É, você estraga meus planos de ir embora, de me afastar. Você estraga até meu plano de me suicidar.
- Pois é. Eu te prendo ao mundo que você vive. E agora te prendo até à vida.
Os dois riram, um com o outro.
- Só não sei se isso é bom, ou ruim - ela disse, por fim.
- Ainda vamos ter tempo de descobrir - ele respondeu.
- Quer dizer que mudou de ideia quanto ao suicídio?
- Vamos ter tempo de descobrir - e riu, abraçando-a.

4 comentários:

Renata disse...

Eu sou uma pessoa de esquina então. Mas as vezes eu encontro alguém que me faz ficar por uns dez minutos mais. Estou querendo encontrar nessa andança toda alguém que me faça querer ficar para sempre?

Estava lendo outros posts seus, você faz jornalismo ou eu entendi errado?Sabe, acho que escrever é a única coisa que eu faço mais ou menos direito, então estava querendo saber a opinião de quem já se gradua no curso.

kinha disse...

e que o tempo seja daquele jeitinho que a gente sempre gosta - infinito enquanto dura.

Katrina disse...

A imagem, o filme na cabeça de tudo. Bom sempre ter fios condutores presos em postes

Késia Maximiano disse...

E não tem coisa melhor que "ter tempo para descobrir" :)
Beijos